A senhora dos biscoitos | Cookie Lady

Depois de um dia muito muito quente, que começou às onze e meia da manhã e só terminou lá pelas sete da tarde, para uns míseros 48 km pedalados, chegámos a Afton a casa da Cookie Lady, de seu nome Jane Curry. Infelizmente esta amável senhora já morreu há quase um ano, mas nos últimos trinta e cinco anos tocou o coração de muita gente. Quando a rota 76 (Transamerica) foi instituída, havia uma pequena loja em Afton onde os ciclistas podiam parar para comprar comida ou beber água. Essa loja fechou no ano em que a rota foi inaugurada e assim nasceu a Cookie Lady. A sua casa fica no topo de uma subida íngreme, e quando os ciclistas lá chegavam já a morrer de sede, deparavam-se com uma placa que dizia “água para ciclistas” e um pequeno anjo que oferecia biscoitos e palavras amáveis de ânimo. Para registo de todos os ciclistas que por ali passavam, a Cookie Lady tirava-lhes uma fotografia com a sua polaroid e nela escrevia o nome e a sua terra de origem. Dentro da casa encontram-se dezenas de álbuns com estas fotografias e estima-se que mais de dez mil pessoas passaram por ali. Entre elas, um português, de nome Rogério, em 2004, que estava num dos livros que o acaso nos fez folhear.

Alguns anos mais tarde, quando o tio da Jane Curry morreu, ela e o seu pai transformaram a casa dele num local onde os ciclistas podiam pernoitar ou apenas descansar durante algumas horas. Actualmente a casa tem nova proprietária, mas ainda é possível lá ficar, deixando uma pequena doação para a sua manutenção. Foi aqui que escolhemos ficar por duas noites, aproveitando para retemperar forças para a subida da nossa primeira montanha.

Entrar naquela casa foi como entrar num pedaço de história, já feita e ainda por fazer. As paredes estão cobertas de postais, enviados por quem lá passou e que quis retribuir de alguma forma, por todo o lado há objectos relacionados com bicicletas, desde aros de rodas até campainhas, brinquedos que algumas crianças deixaram para trás, uma bicicleta feita com raios, livros sobre viagens semelhantes à nossa, recortes de jornais sobre a Cookie Lady, e a forma como algumas turmas da primária se mobilizaram para angariar comida para dar aos ciclistas, enfim, toda uma parafernália de objectos que contam a história de uma senhora que nunca teve oportunidade de viajar, mas que conheceu muitas partes do mundo graças ao contacto com outras pessoas.

Para além do dia passado a explorar todo este museu vivo, do qual agora também fazemos parte, à noite fomos jantar a casa da Ellen e do Ron, que nos preparou um excelente pad thai, e com quem trocámos histórias de viagens. Este casal maravilhoso vai a Portugal em Setembro, e aproveitámos para lhes dar algumas dicas sobre os melhores locais a visitar. Se alguém se lembrar de alguma coisa espectacular não se abstenham de fazer comentários!

IMGP5926

IMGP5929

IMGP5935

IMGP5936

After a very hot day, that started at 11:30 and only ended around seven in the afternoon, and only with 35 miles pedaled, we arrived in Afton, at the Cookie Lady’s House, who’s name was Jane Curry. Unfortunately this lovely lady passed away almost a year ago, but in the last thirty five years she touched the heart of a lot of people. When route 76 was made Afton had a small grocery shop, where cyclists could stop to buy water and some supplies. That store was closed n the year the route was inaugurated and that was how Cookie Lady was born. Her house was at the top of a steep hill, and when cyclists got there, totally thirsty they would see a sign, saying “water for cyclists”, and a little angel that gave them cookies and offered some words of encouragement. For recording all the cyclists that passed at her door, Cookie Lady took their picture using her polaroid, and on the picture she wrote the name and the country or the region of that person. Inside the house there are dozens of albums with such pictures, and estimates are that over ten thousand cyclists passed there. Among them there was a portuguese, Rogério was his name, in 2004, and he was in one of the books that we randomly picked.

Some years later, when Jane Curry’s uncle passed away, she and her father used his house to host cyclists for the night or just to rest for a few hours. The current owner of the house still lets people stay there and she only asks for a small donation to help her keep the house functioning. This was the place of our choice to rest and gain our forces back before our first mountain climb.

Entering that house was like entering in a small part of history, already done but still making itself. The walls are covered in post cards, sent by those who passed there and that wanted to pay back, everywhere there are objects related to bicycles, rims and bells, toys that some children left behind, books describing trips like our own, newspaper scraps about the Cookie Lady, and on how some Elementary schools raised food for the cyclists, well, all the sort of objects that tell the story of a really nice lady that was never had the chance to travel, but that got to know several parts of the world, trough all the people she met.

We spent all day exploring this live museum, which now we are also part of, and at evening we went to The first dinner at Ellen and Ron’s. Ron cooked us an excellent pad thai and we all spoke about our travels. This wonderful couple is going to Portugal in September and we gave them some tips of the places to visit. If anybody knows something spectacular to visit, please comment about it!

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “A senhora dos biscoitos | Cookie Lady

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s