As cidades coloniais 2 – Barichara | Colonial towns 2 – Barichara

Das três que visitámos Barichara é provavelmente a mais bem conservada mas também a mais turística e a que tem menos vida própria. Tivemos a sorte de a visitar a um dia de semana quando grande parte dos hotéis boutique, restaurantes de luxo e lojas de artesanato, estão fechados e na cidade respirava-se um silêncio típico de uma vila alentejana, provavelmente devido à falta de visitantes. O clima também era típico de um dia de Primavera no Alentejo, assim como a vegetação verdejante, e até uma bienal de escultura em pedra como em Alpalhão, só a arquitectura da igreja e as montanhas ao redor faziam adivinhar que estávamos muito longe de casa.

IMGP0250

IMGP1675

IMGP1682

IMGP0248

IMGP1685

IMGP1686

IMGP1687

IMGP0258

IMGP0264

IMGP0274

IMGP0294

Of the three we visited Barichara is probably the most well preserved but also the most touristy with least local life. We were lucky to visit on a weekday when most of the boutique hotels, luxury restaurants and craft shops are closed and the town breathed a typical silence of an Alentejo (region of Portugal) town, probably due to lack of visitors. The weather was also typical of a spring day in Alentejo, as well as the lush vegetation, oand even a stone sculpture biennial as in Alpalhão existed, only the stone architecture of the church and the surrounding mountains made us guess we were very far from home.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s