Entre Barranquilla e Santa Marta | Between Barranquilla and Santa Marta

Barranquilla é uma cidade industrial e comercial com muito pouco que visitar. Avisados pelo Edwin de quais as zonas a evitar, ficámo-nos pelos subúrbios bonitos e pelos centros comerciais e acabou por ser simpático estar num sítio só em modo viver, e não em modo visita, e além de tudo foi onde o Pedro celebrou o seu aniversário. O melhor veio quando saímos em direcção a Santa Marta e cruzámos a Cienága – melhor dizendo, uma zona de lagos e lagoas. Infelizmente a zona tem sido afectada por uma enorme seca e as lagoas viram pântanos, alguns até putrefactos, afastando assim as centenas de pássaros que habitualmente se vêem por estas paragens. Atravessar esta zona foi também um desafio já que a temperatura era elevada (o problema é o El Niño, dizia o senhor da bomba de gasolina, enquanto amavelmente enchia as nossas garrafas com água fresca) e o vento forte, em cerca de 40 Km sem qualquer tipo de sombras ou serviços. No caminho algumas pessoas pediam água, mas não podíamos dispensar a nossa, já que precisávamos dela para chegar ao outro lado.

Já em Santa Marta o melhor foi mesmo uma cazuela de mariscos que não parecia ter fundo, a saída à noite para o bar La Puerta e a ida ao Parque Nacional de Tayrona, que acabou por a nossa despedida da praia, que não esperamos voltar a ver durante largos meses.

IMGP9744

IMGP9751

IMGP9754

IMGP9763

IMGP9768

IMGP9770

Barranquilla is an industrial and commercial city with very little to visit. Warned by Edwin of which areas to avoid, the beautiful suburbs and the malls turned out to be friendly and to be somewhere where people only live, instead of some visiting mode was quite nice, and of course it was here that we celebrated Pedro’s birthday. The best came when we left towards Santa Marta and crossed the Cienaga – an area of lakes and ponds. Unfortunately the area has been plagued by a huge drought that emptied swamps and lagoons, some are even rotten, thus removing the hundreds of birds that are commonly seen in these parts. Going through this zone was also a challenge since the temperature was high (the problem is El Niño, said the guy at the gas station, while kindly filled our bottles with fresh water) and the strong wind during about 40 Km without any shadows or services. On the way some people asked for water, but we could not give any since we needed it to get to the other side.

In Santa Marta we had the best cazuela de mariscos (shrimp soup) that seemed to have no bottom, a night out to the bar La Puerta and the trip to Tayrona National Park, which turned out to be our farewell to the beach, that we think we are not going to see again for a lot of months.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s