De Lander, Wyoming a Missoula, Montana | From Lander, Wyoming to Missoula, Montana

A Jeanne, o Kevin, o Eric, a Liz e a Annie, um grupo de ciclistas da Virginia chegaram ao bar onde estávamos em Lander já era noite escura, com um olhar algo alucinado partilharam histórias de médias de 120 km por dia, com muita festa à mistura, uma vontade de dançar todos os dias da semana e poucas paragens para descanso desde que tinham deixado Washington DC. Em comum partilhávamos a rota da Transamerica e o ponto de paragem em Lander, o que ainda não sabíamos era que íamos ser arrastados para um carrossel em andamento, cheio de aventuras, festas e desvarios a dez, desde Lander até Missoula, e um pouco mais além. Neste tempo de festa, o tempo para actualizar o blog foi escasso, aliás, o tempo foi escasso para tudo o que não fosse andar de bicicleta, conviver com o grupo mais animado que se possa imaginar e festejar a viagem, sob a forma de muitas cervejas, sidras (uma benção para quem não gosta de cerveja e futuro sucesso do mercado português – Angry Orchard é a marca a importar), e aventuras partilhadas. Como estamos atrasadíssimos no blog, resolvemos resumir e destacar o que de mais interessante se foi passando, com a promessa de algumas descrições mais longas para sítios especiais.

Dia 1 PL (pós Lander) – Um anjo chamado Diane

Entre Lander e Dubois, pouco havia para além de uma reserva índia, uma área de descanso e uma estação de serviço. A mesma paisagem desértica dos dias anteriores, o mesmo vento forte e uma incrível distância de 125 km. Por já termos feito uma distância semelhante (embora em terreno plano e com vento pelas costas), menosprezámos a dificuldade do percurso e saímos por volta das dez da manhã. À medida que o tempo ia passando fomo-nos apercebendo que ia ser difícil chegar ao destino escolhido. Nos primeiros dias de viagem teríamos encontrado um simpático quintal e pedido ao proprietário para acampar por ali mesmo, mas agora tínhamos uma espécie de compromisso, e uma enorme vontade de chegar, até onde estavam os nossos novos amigos.

Primeiro veio o pôr-do-sol e com ele fotografias fantásticas, a seguir caiu a noite escura, equipámo-nos com os nossos coletes reflectores e acendemos as luzes da bicicleta. Alguma vez teríamos que pedalar à noite, porque não neste dia? Na estrada passavam poucos carros e os barulhos ouvidos na vegetação rasteira junto à estrada tornavam-me (Sara) um bocadinho assustadiça. Assim fomos andando devagarinho, com alguma noção de que ainda faltava um bom bocado. A certa altura vimos uma placa, e, com uma ténue esperança de que fosse o parque de campismo, parámos para ler melhor. Junto a nós parou uma senhora na sua carrinha de caixa aberta que disse “faltam 20 km para Dubois” – ah, dissemos com um ar desanimado – “querem uma boleia?” – sim, por favor, muito muito obrigada! – foi a nossa resposta pronta. E assim nasceu um anjo chamado Diane, que nos resgatou de uma estrada semi-deserta, e impediu que chegássemos ao parque de campismo por volta da meia noite (com sorte!).

IMGP2490

IMGP6713

IMGP6716

IMGP6718

IMGP6722

It was already dark ninght when Jeanne, Kevin, Eric, Liz and Annie, a group of cyclists from Virginia, arrived at the bar where we were hanging out in Lander, with a sort of crazy look in their eyes, and they shared stories of averages of 75 miles a day, with a lot of fun on top of that, a willingness to dance every day of the week and few stops to rest since they had left Washington DC. In common we had the Transamerica route and the stopping point in Lander. What we didn’t know was that we were going to be dragged into a carousel in progress, full of adventures, parties and ravings from Lander to Missoula, and a little beyond. In this time of great party we hardly had any time to update the blog, indeed, the time was short for all that was not cycling, socializing with the most happy group one can imagine, and celebrate the trip with a lot of beer, hard ciders (wonderful for those who do not like beer and future portuguese market success- Angry Orchard is the brand to import), and adventures shared . As we are very late on the blog , we decided to summarize and highlight the most interesting parts, with the promise of some longer descriptions for special places.

Day 1 PL (post Lander ) – An angel named Diane

Between Lander and Dubois there was little besides an Indian reserve, a rest area and a service station. The same desert landscape of the previous days, the same strong wind and an incredible distance of almost 80 miles. Since we had already made ​​a similar distance (although on flat ground and with a tail wind), we underestimate the difficulty of the route and we left at around ten in the morning . As time passed we realized it would be difficult to arrive at the chosen destination. In the early days of our trip, we would have found a nice yard and asked the owner to camp right there, but now, we had a sort of compromise, and an eagerness to get to where our new friends were staying.

First it was sunset and we took some amazing pictures, then the night fell, we put on our reflective vests and lighted the bike lights . Someday we had to ride at night, why not today? On the road passed just a few cars and the noises we heard in the underbrush by the side of the road made ​​me ( Sara ) a little skittish . So we cycled slowly , with some notion that there was still a good bit ahead of us. At one point we saw a sign, and, with a faint hope that it was the campsite, we stopped to read it better. Next to us stopped a lady in her truck and she said “it’s still 13 more miles to Dubois” – oh, we answered with a dejected air – ” Do you want a ride?” – Yes , please , thank you very much! – Was our promptly ready . And so an angel named Diane was born, who rescued us from a semi-deserted road, and prevented us from arriving at the campsite around midnight (with some luck!).

 

Anúncios

3 pensamentos sobre “De Lander, Wyoming a Missoula, Montana | From Lander, Wyoming to Missoula, Montana

  1. Seus marotos, ja estava cheio de curiosidade para saber onde andavam, ao ler o vosso blog, para mim, é como o regressar a leitura dos livros das aventuras dos 5, pelo q deixo aqui desde ja o pedido de não se deixarem cair na preguiça.
    Bjinhos e continuação de boa viagem, cheia de emoções e aventura……

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s