Coincidências, ou o mundo é mesmo pequeno II | Coincidence, or the world is really small II

A saída de Santa Cruz não foi fácil. Primeiro foi a arrumação de todos os nossos pertences que demorou eternidades, depois foram as despedidas, a troca de contactos, os desejos de viagens seguras, os convites para uma visita a Portugal. Como já tínhamos combinado, ainda passámos pela loja de bicicletas onde o Evan trabalha e aproveitámos o seu desconto de 50% em nosso benefício. Até com uma GoPro de lá saímos! Ainda fomos às compras ao supermercado, e só depois começámos o nosso dia, já por volta do meio dia. Para sair de Santa Cruz atravessámos uma extensa área urbana nada bonita e cheia de trânsito. Ainda nem 9 km tínhamos andado e resolvemos parar para almoçar numa casa de hamburgers/bar.

Enfim, devidamente alimentados, lá nos apressámos, tentando recuperar o tempo perdido para tentar não chegar já de noite.

A Califórnia é também um estado agrícola, e ao longo do caminho existem aquelas barraquinhas onde os produtores vendem fruta e legumes frescos, e aos quais o Pedro nunca consegue resistir, independentemente do quão atrasados estejamos para chegar a algum lado. Foi o caso, e perante os meus “ai que já é tão tarde”, lá parámos para comprar mais fruta. Melhor não podia ter corrido!

Uma senhora, Cath de seu nome, meteu conversa connosco e quando lhe perguntámos de onde era, respondeu que de Seaside, antes de Monterrey e desapareceu. Passado alguns minutos, e depois de ter falado por telefone com o Jan, o seu marido, convidou-nos para ficar em sua casa. Disse-nos mais tarde que quando ligou ao Jan a perguntar se podia trazer uns ciclistas consigo ele respondeu: “se eles quiserem um bom jantar e um sítio confortável para dormir, claro que sim!” A verdade é que, para além de serem óptimos anfitriões, este casal é proprietário da cama mais confortável em que já dormimos em todos os Estados Unidos. Talvez por isso, e para explorar Monterrey (a terra do John Steinbeck) e Pebble Beach, tendo a Cath como guia, decidimos ficar uma segunda noite.

O Jan, que tem uma conta no tweet onde vai partilhando os seus afazeres ciclísticos, achou por bem mostrar-nos ao mundo, relatando com a nossa história. Quem lhe respondeu foi uma amiga, a perguntar se nós não éramos os mesmos ciclistas que a sua amiga Jebbie tinha hospedado na Vírigina. Sem dúvida, o mundo é mesmo muito pequeno!

IMGP4108

IMGP4111

IMGP4112

IMGP4113

IMGP7706
Leaving Santa Cruz was not easy. First we had to gather and pack all our belongings and that can take forever, then it was the the goodbyes, exchanging contacts, the wishes of safe travel, the please come visit us in Portugal. As we had previously arranged, we stopped at the bicycle shop where Evan works and we took advantage of his 50% discount. We walked out with a bunch of stuff and even a GoPro! We still had to stop in the grocery store, and only around noon we started our trip for the day. To leave Santa Cruz we passed an extensive, ugly and full of traffic suburb. We had not even cycled more than 6 miles and we decided to stop for lunch at a burger house/bar.

After that, properly fed, we rushed, trying to catch up as to not arrive late in the evening.

California is also an agricultural state, and along the way there are those stalls where farmers sell fresh fruit and vegetables, and to which Pedro can never resist, no matter how late we are to get anywhere. It was the case, and even with my “Oh! It is already so late” we stopped to buy some fruit. And that was when magic happened!

A lady named Cath started talking to us and when we asked her where she was from, she replied she lived in Seaside, before Monterrey, and disappeared. After a few minutes, and after speaking by phone with Jan, her husband, she invited us to stay in at their house. She told us later that when she called the Jan to ask if she could bring some cyclists ove he replied, “if they want a good dinner and a comfortable place to sleep, of course you can”. Truth is that, apart from being great hosts, this couple owns the most comfortable bed we have ever slept in the United States. Maybe because of that, and also to explore Monterrey (the land of John Steinbeck) and Pebble Beach, having Cath as a guide, we decided to stay a second night.

Jan, who has tweet account, where he shares his cycling stuff, decided to show us to the world, reporting our story. In response one of his friends asked if we were not the same cyclists that Jebbie, one of her friends, had hosted in Virigina. Undoubtedly, the world is really small!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s