Sol, redwoods e marijuana! | Sun, redwoods and marijuana!

A placa dizia “Welcome to California”, e o sol brilhava de tal maneira que foi difícil tirar a fotografia em contra-luz. Ah! O sol da California, e finalmente a visita ao último estado dos Estados Unidos, provavelmente o mais sonhado e desejado, já a dois passinhos, que é como quem diz, 1.500 km, do México.

Depois da tempestade do Oregon, a bonança da Califórnia, e foi sob um belíssimo sol que chegámos bem cedo a casa da Carol, onde passámos a tarde a lavar roupa e a secar tudo o que é de nossa propriedade, para depois passar uma noite bem relaxada. Dirigimo-nos uma última vez à praia, já que nos próximos dias a nossa rota nos levaria novamente para o interior, desta vez para visitar a fantástica floresta nacional de Redwoods.

Os redwoods e as sequóias são árvores gigantes, algumas com mais de 100 metros de altura (mais ou menos um prédio de 30 andares), e que já cá andam desde o tempo de Jesus Cristo. Pensar no que aquelas árvores já testemunharam é de deixar qualquer um de boca aberta, tentar tirar uma fotografia de corpo inteiro revela-se tarefa próxima do impossível, encostar a nossa bicicleta e ver o que sobra de árvore é emocionante.

Um dos melhores momentos foi uma grande descida, feita já ao fim da tarde. A estrada era sombria, já que a altura das gigantes árvores não deixava passar um raio de sol, o ar era húmido e todo o caminho foi feito devagarinho, para não apanhar muito frio e para apreciar as belíssimas vistas, parando aqui e ali para as costumeiras fotos. No fim, uma imensa e solarenga pradaria, onde uma manada de renas passeava descontraidamente e onde poisámos para passar a noite!

Outro grande ponto alto foi o passeio pela Avenida dos Gigantes, uma estrada que atravessa 50 km de floresta encantada, e onde é possível visitar a árvore imortal – uma árvore que foi atingida por um raio mas que continua de pé -, uma casa na base de uma árvore, e várias árvores caídas, com troncos gigantes. E foi aqui, já em plena Califórnia, e depois de termos atravessado estados conhecidos pela sua vida selvagem, que finalmente vimos um urso, aliás uma ursa com as suas duas crias. Felizmente estavam bem longe, mas um simpático turista emprestou-nos os seus binóculos, e conseguimos ver os ursinhos a brincar sob o olhar atento da mãe.

Este reino das árvores gigantes convive com uma outra realidade, por todo o condado de Humboldt existem milhentas plantações de marijuana. Apesar de ser proibido plantar erva, esta é uma zona cinzenta da legislação e grande parte dos habitantes da região fazem desta a sua forma de vida. São tantas as plantações que a polícia já desistiu de as tentar destruir, e o sherif já tinha feito saber que não ia incomodar quem tivesse uma plantação de menos de 25 pés. Cidades como Arcata e Eureka, que ficam no meio do condado são habitadas por velhos hippies, por novos consumidores, e muitos agricultores. Nesta época, a da colheita, a sua população duplica e de todo o lado chegam jovens dispostos a colher erva. Pelo que nos apercebemos é um trabalho bastante bem pago, mas há sempre uma certa tensão no ar, e o ambiente não é dos melhores em cidades como Redway ou Garberville.

O mais espantoso no meio disto tudo é o cheiro a erva que sentimos enquanto pedalamos estrada fora, proveniente das inúmeras plantações existentes, as quais nunca chegamos a ver, o que para além de divertido também é um pouco desconcertante.

Ainda antes da chegada à California já todos nos tinham avisado para não deixarmos as nossas bicicletas sem guarda, para as trancarmos em todas as ocasiões e para prestarmos especial atenção aos indigentes que circulam estrada fora, geralmente com um cão pela trela. Ao contrário de outros estados, aparentemente a California atrai muitos sem-abrigo, alguns procurando trabalho nas plantações de marijuana, outros, disseram-nos alguns dos seus cidadãos que fomos conhecendo, apenas tomando partido dos subsídios providenciados pelo estado social que aqui impera. Do que nos foi dado a observar existem efectivamente muitos mais sem-abrigo que no resto da América que visitámos, não sabemos se por virtude do simpático clima, se da não perseguição pela polícia que existe noutros estados.

Para nós a saída do condado de Humboldt estava para breve, bastava subir duas “pequenas” colinas e passávamos para a estrada 1, que segue ao longo do litoral até São Francisco. E assim, depois de algumas noites com um simpático casal de warmshowers, onde dormimos acima das nuvens, e outra com a família da Diana, americana de origem portuguesa e brasileira, que nos resgatou de passar a noite em local incerto, estávamos preparados para a nossa próxima aventura, a ida até São Francisco!

 

IMGP3826

IMGP3844

IMGP3845

IMGP3854

IMGP3856

IMGP3877

IMGP3883

IMGP3900

The sign said “Welcome to California “, and the sun shone so much that it was difficult to take the picture. Ah! The California sun, and finally the last state to visit in the United States, probably the most desired and dreamed, and we are now two steps away from Mexico, or almost a 1000 miles.

After the storm of Oregon, the bonanza of California, and it was under a beautiful sun that we arrived early to Carol’s house, where we spent the afternoon washing and drying everything we own, and then spend an evening just relaxing. We headed to the beach one last time, since on the next day our route would take us back inland, this time to visit the fantastic National Redwoods Forest.

The redwoods and the sequoias are giant trees, some over 300 feet tall ( about a 30-story building ) that have been around since the time of Jesus Christ. Think about what those trees have witnessed leaves us with our mouths open, trying to take a picture of the whole tree revealed to be a task next to impossible, pull our bike against one and see how large it is is exciting.

One of the best moments was a great descent that we made in the late afternoon. The road was in the shadow, since the height of the giant trees would not let pass a ray of sunshine, the air was damp all the way so we descended slowly trying to avoid the coldness and to enjoy the beautiful views, stopping here and there to take the usual pictures. In the end, a huge and sunny prairie, where a herd of elk was walking casually, and where we stopped to spend the night!

Another major highlight was the ride down the Avenue of the Giants, a road that runs through 30 miles of an enchanted forest, and where you can visit the immortal tree – a tree that was struck by a lightning but is still standing – a home base a tree, and several fallen trees , with giant trunks. And it was here, already in the middle of California, and after we crossed several states known for its wildlife, that we finally saw a bear, indeed a bear with her two cubs. Fortunately they were far away, and a nice tourist lent us his binoculars, and we got to see the bears playing under the watchful eye of the mother.

This realm of giant trees coexists with another reality, throughout the Humboldt County there are hundreds of marijuana plantations. Despite being forbidden to grow weed, this is a gray area of the law and many of the inhabitants of the region make this their way of life. There are so many plantations that the police have given up the attempt to destroy them, and the sheriff had already indicated he would not bother anyone who had a plantation of less than 25 feet. Cities like Arcata and Eureka, which are in the middle of the county are inhabited by aging hippies, by young customers, and many farmers. At this time, harvest time, the population doubles and from everywhere comes young people willing to participate in the harvest. From what we perceive the work of trimming is quite well paid, but there is always a certain tension in the air, and the atmosphere is not the best in cities like Redway and Garberville.

The amazing thing in all this is the smell of the weed we feel while we ride on the road, from the numerous existing plantations, which we never get to see, and that is fun but also a bit disconcerting .

Even before the arrival in California everyone had warned us not to leave our bikes unattended, to lock it at all times and to pay special attention to indigent circulating in the road, usually with a dog on a leash. Unlike other states, California apparently attracts many homeless people, some looking for work in the plantations of marijuana, others, as we were told by some people, are just taking advantage of the benefits provided by the welfare state that prevails here From what we could observe there are actually many more homeless people than in the rest of America that we visited, we do not know if by virtue of the friendly weather, if by not having the police harassing them like happens in some other states.

For us the environment of Humboldt County was just two “small” hills away as we passed to Highway 1, which runs along the coast all the way to San Francisco. And so, after a few nights with a nice couple of warmshowers, where we slept above the clouds, and the other with at Diana’s, an American with Brazilian and Portuguese origin, who redeemed us to spend the night in some unknown location, we were prepared to our next adventure, a trip to San Francisco!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s